Os robôs estão vendendo nas redes sociais.

Os robôs estão vendendo nas redes sociais.
Os robôs estão vendendo nas redes sociais.

 

Natura

A utilização dos chatbots vem representando  um avanço de algumas empresas que eram criticadas por uma presença tímida em canais tecnológicos.

É o caso da Natura. Antigamente, a fabricante de cosméticos recebia diversas cobranças de analistas de mercado a respeito de uma ofensiva maior em outros canais. A empresa, com receio de canibalizar as vendas diretas de suas consultoras, resistia. O problema, contudo, parece ter ficado no passado.

Prova disso é a atual investida no varejo físico e a intensificação das vendas no canal online, independente das vendedoras. Para provar esse avanço, a empresa também adotou o seu robô.

A Natura criou um chatbot que ajuda os clientes a escolherem presentes em datas festivas em sua página do Facebook.

No dia dos pais, por exemplo, dava sugestões de presentes para pais vaidosos, modernos e até aventureiros. Segundo a empresa , o robô consegue uma taxa de conversão de vendas quatro vezes superior ao visto no site.

As redes sociais mudaram a forma que os clientes consomem,  das 1,3 milhão de consultoras que fazem parte do time da Natura, 400 mil fazem negócios diretamente pelas redes sociais. Boa parte do atendimento e das vendas delas ocorrem por ela.


Netshoes :

Segundo especialistas, os robôs chegam a resolver de 70% até 90% dos problemas.

Um levantamento do Facebook mostrou que existem mais de 11 mil robôs de conversação na rede atualmente. Além disso, mais de 23 mil desenvolvedores se inscreveram para criar bots para a plataforma. Logo, não é por acaso que a Netshoes também faz atendimento por meio de robôs.

A companhia afirma que mais da metade de todo o contato com o cliente já é feito por meio de inteligência artificial, seja nas redes sociais ou no próprio site.

Vendas, no entanto, ficarão para depois. A empresa, que inclusive já realizou vendas diretas pelo Facebook em outros tempos, não enxerga as redes sociais como uma plataforma de comércio.

Por isso, a criação de conteúdo focados nessas redes estão tendo cada vez mais atenção e o atendimento. “As redes não são o ponto final da venda, mas mesmo assim são fundamentais para conhecer o consumidor e oferecer o produto com mais assertividade”, segundo a companhia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AlphaOmega Captcha Classica  –  Enter Security Code